Publicada a Lei de expansão territorial do polo moveleiro de Ubá

  • Post author:
  • Post category:Notícias

Vinte e dois municípios e cerca de 386.700 habitantes passam a compor o polo

 
Por Ludmila Oliveira

No dia 06 de janeiro de 2021, o governador do estado de Minas Gerais, Romeu Zema promulgou a LEI 23 765 que institui a expansão do polo moveleiro de Ubá para 22 municípios. A partir da publicação da Lei, Astolfo Dutra, Cataguases, Divinésia, Dona Euzébia, Dores do Turvo, Goianá, Guarani, Guidoval, Guiricema, Mercês, Piraúba, Rio Novo, Rio Pomba, Rodeiro, São Geraldo, São João Nepomuceno, Senador Firmino, Silveirânia, Tabuleiro, Tocantins, Ubá e Visconde do Rio Branco passam a compor o polo moveleiro.

Para o presidente do Intersind, Aureo Calçado Barbosa, a expansão do polo moveleiro de Ubá é importantíssima para o desenvolvimento industrial, econômico e social de forma organizada para a região. “ A inclusão de mais 14 municípios no polo servirá para reforçar nosso posicionamento perante o mercado, como um polo mais forte e mais unido dentro dos mesmos princípios”, afirma o presidente.

Através do Projeto de Lei 0516/2019, de autoria do deputado estadual Coronel Henrique (PSL), a expansão do polo tem como objetivo a integração dos municípios, fortalecer a cadeia produtiva do setor moveleiro, promover o desenvolvimento e a divulgação de tecnologias aplicáveis ao setor industrial moveleiro, contribuir para a geração de empregos e para o aumento da renda, principalmente mediante ações voltadas para o setor moveleiro, observados os princípios do desenvolvimento sustentável.

“Faremos, assim que permitido, uma reunião conjunta com todos os prefeitos desses 22 municípios, com o objetivo de apresentar o que o Intersind e a Fiemg podem oferecer para promover o desenvolvimento industrial de nossa microrregião, gerando oportunidade de trabalho e renda para nossa população. Nessa oportunidade, iremos debater sobre as peculiaridades de cada município, no sentido de apurar o que precisaremos fazer para ajudar cada um a promover, de forma organizada, seu crescimento industrial dentro de um planejamento estratégico estruturado”, finaliza Aureo.